Vaginite
28 de agosto de 2009 | Autor:

Nas crianças, as paredes vaginais são constituídas de poucas camadas de células, em decorrência da ação estrogênica deficiente, e facilita a ação dos agentes inflamatórios.

Se o agente causal não for identificado, a vaginite será rotulada como inespecífica. A inflamação vaginal é facilitada por alguns fatores: desnutrição, masturbação frequente, maus hábitos de higiene e presença de corpos estranhos. É relativamente frequência localização de focos infecciosos a distância: no aparelho respiratório, na pele e no aparelho urinário. Considerando-se que, na vagina de crianças sadias, encontra-se flora mista integrada por estilococus, estreptococus, E. coli e outras bactérias, acredita-se que seu poder patogênico somente se manifesta se houver baixa de resistência do organismo.

Caso o agente inflamatório seja identificado, a vaginite é considerado específica, podendo ser causada por: Naesseria gonorrhoeae, Haemophilus influenzae, Candida albicans, Trichomonas vaginalis e Enterobius vermicularis, este último conhecido vulgarmente por oxiuros..


Vaginite gonocócica


Tricomoníase


Candidíase


Vulvovaginite por Enteróbius

Corpos estranhos na vagina são muito comuns, especialmente a partir dos três anos de idade, quando a criança começa a explorar e conhecer seu corpo e descobrir as regiões prazerosas, podendo ser encontrado pedaços de vagem, feijão, plástico, pedaços de lápis (especialmente lápis de cor pequeno), palitos, bem como fiapos de algodão ou tiras de tecido de calcinhas ou plástico/gel de fraldas descartáveis.Corpos estranhas produzem, além de corrimentos e mau cheiro, inflamação com dor local e febre, que podem ser percebidos pelo estado de prostração da criança.Na imagem abaixo vê-se um pedaço de tecido de algodão em vagina de criança de 3 anos. Provavelmente seja um fragmento que se desprendeu do forro de alguma calcinha.

Propedêutica
A queixa principal é de corrimento que, frequentemente causa ardor, disúria e prurido vulvar. O exame da vagina revela suas paredes hiperemiadas, e o corrimento com características que pode sugerir o agente causal: amarelo e bolhoso, tricomonas; Branco e fluido , haemofilus, Branco, em placas aderentes com aspecto de leite talhado, candida. Corpos estranhos na vagina causa inflamação aguda.

Na tabela abaixo encontram-se os tipos de corrimento e seus possíveis diagnósticos:

tabela_corrimentos

Indicam se o seguintes exames complementares para diagnóstico etiológico da vaginite:
- exame direta em gota pendente para pesquisa de tricomonas.
- bacterioscópico para avaliação da flora vaginal e pesquisa de fungos e gonococos.
- cultura para identificação de bactérias, fungos e haemofilus.
- exame microscópico em campo escuro para identificação de treponema.
- swab anal para identificação de enteróbios.

Tratamento

Vários esquemas terapêuticos tem sido empregados para o tratamento da vaginite, levando-se em consideração duas circunstâncias: o agente não é identificado – vaginite inespecífica; agente identificado – vaginite específica.

Vaginite inespecífica

  • cuidados de higiene da vulva do intróito vaginal e, à base de sabão neutro e desinfetantes.
  • aplicações locais de cremes vaginais indicados, usando-se aplicador de pequeno calibre, introduzidos através do hímen.
  • em casos resistentes, lança-se mão de uma das seguintes medidas:
  1. antibiótico de largo espectro por via oral ou parenteral.
  2. creme de antibiótico em aplicações vaginais.
  3. creme de Estrogênios em aplicações vaginais.
  4. vermífugos, caso necessário

[Voltar]

Categoria: Notícias